Como o armazenamento em nuvem pode ajudar escolas e creches?

Porque o departamento de TI da escola deve manter seus próprios datacenters, servidores, firewalls e segurança de infraestrutura sabendo como o armazenamento em nuvem pode ajudar escolas e creches?

Seus professores escrevem seus próprios livros didáticos? A dona da cafeteria cultiva seu próprio café? Não!

Portanto as escolas devem começar a levar em consideração a possibilidade de migração de dados para nuvem.

Vamos explicar para você entender direitinho:

O gerenciamento de dados escolares está passando por uma mudança radical

Da mesma forma, há razões pelas quais sua escola deve estar olhando atentamente para armazenamento em nuvem para gerenciar seus dados.

No livro The Big Switch, o autor Nicholas Carr compara a ascensão da indústria de computadores com a indústria elétrica.

A computação está se transformando em uma utilidade, diz Carr.

Ele aponta algumas métricas, e diz que o poder e os computadores têm a capacidade de serem mensurados.

Lembrando que, quando Nicholas Tesla inventou corrente alternada (CA), uma nova indústria nasceu, vendendo eletricidade.

A visão de Carr era que o CPU, memória e espaço de dados seriam vendidos como recursos medidos.

Este conceito é o que agora chamamos de nuvem, onde as pessoas pagam aos outros para lidar com o custo de “geração” dos recursos de computador.

O verdadeiro custo para as escolas que não estão na nuvem é manter datacenters, servidores, firewalls e segurança.

Tudo isso é uma tarefa importante para qualquer organização, razão pela qual o Google, os Amazon Web Services e outras soluções baseadas em nuvem fazem tanto sentido econômico, especialmente para as escolas.

Manter esse tipo de estrutura funcionando é caro, quando você compara a CPU, memória e unidades de disco.

Mas há uma falha enorme em “gerar sua própria energia” para a escola.

Para alimentar a sua própria casa, por exemplo, você precisa comprar um gerador suficientemente grande que tenha amperagem para executar todos os seus gadgets em alta demanda.

Você paga pelo maior pico de energia gerado, mas não usa nem a média.

Este tipo de situação acaba gerando um grande descontentamento, pois o correto é pagar por quantidade utilizada, e não pelo pico máximo de uso.

Vale a pena continuar investindo em servidores e datacenters?

Os custos são mais altos, e os benefícios se tornam mais baixos todos os dias.

A nuvem nos permite ter acesso aos recursos do computador em uma abordagem de “uso puro”. Pagamos apenas pelo que usamos.

É natural que os profissionais de TI se sintam seguros com servidores e datacenters no local.

Há uma sensação de segurança sendo capaz de tocar e sentir o equipamento que detém os nossos dados. A segurança dos servidores no local, entretanto, é falsa!

Quando geramos “nosso próprio” poder, temos sempre um único ponto de falha.

A rede elétrica nos oferece muitas fontes de alimentação. Os servidores no local raramente correspondem à nuvem.

Sabe-se que poucos administradores de sistemas gerem e executam uma segurança detalhada. A segurança requer pessoas qualificadas e dedicadas à tarefa.

As escolas estão migrando lentamente para a nuvem

Enquanto as escolas pensam em adotar a nuvem para soluções de informação, a nuvem está trazendo mudanças para muitas facetas da educação: hospedagem de sites, colaboração online, Google Apps para Educação , Office 365 para Educação,  incluindo a utilização de sistemas como o SmartBaby, e muito mais.

No gerenciamento de dados, a batalha em torno do “local x nuvem” está funcionando como nós citamos aqui.

Os profissionais de T.I e as escolas devem começar a considerar muito o serviço de nuvem.

É preciso evoluir da manutenção de servidores locais, para ajudar a educação a se tornar mais acessível e eficiente através de armazenamento e manutenção em nuvem.

Precisamos transferir o valor entregue para a educação, em novas áreas.

A saída de nosso poder de processamento, são os dados. Os dados são o futuro da educação.

Sua escola: está nuvem ou não?

É uma mudança de paradigma que infelizmente está recebendo resistência de muitos profissionais de T.I. da escola.

Os profissionais de T.I que perderam essa chance de migrar para nuvem estão prejudicando acima de qualquer outra pessoa, os alunos.

Para a velha escola, manter-se fora da nuvem acontece porque um gerente se opôs a confiar na nuvem, e isso pode ser realmente um ponto muito negativo.

Deve-se sempre verificar que os fornecedores que manipulam os dados em nuvem sejam confiáveis.

Nuvem é fonte de recurso e disponibilidade

Um datacenter escolar transferido para a nuvem pode economizar o suficiente para pagar por outros programas importantes.

Por consequência, permite que sua escola implante aplicativos educacionais que ajudam os alunos a aprender e a escola a se relacionar melhor com os pais, sem falar na satisfação dos professores.

Fato é, as escolas não podem se dar ao luxo de construir internamente estes tipos de sistemas e estruturas, e, como a “dona da cafeteria que cultiva seu café”, não tem nenhuma obrigação fazê-lo.