Muitas vezes o envolvimento dos pais na escola não é enfatizado pelos Centros de Educação Infantil e com os professores, porque eles pensam que não podem.

Mas muita coisa é apenas percepção: os professores percebem que as famílias não querem se envolver quando, de fato, as famílias não sabem como se envolver.

Por outro lado, os pais hesitam se envolver porque não tem tempo extra ou porque acham que não sabem se comunicar com as professoras adequadamente.
Porém, o maior problema é a desconexão entre o CEI e as famílias.

O que impede o envolvimento dos pais na escola? E qual a importância disto?

Os pais acreditam que não são bem-vindos, em parte devido à sua própria história de educação, que muitas vezes tiveram uma experiência menos satisfatória com sua própria escola e, portanto, não sentem que [estar envolvido] estão garantido uma boa experiência para eles e para seus filhos.

Uma análise recente de opinião pública, realizada por uma organização pública de pesquisa nos Estados Unidos, a Public Agenda, descobriu que 65% dos professores dizem que seus alunos se sairiam melhor na escola se seus pais estivessem mais envolvidos e 72% cujos pais não estão envolvidos, às vezes ficam muito mais deprimidos na escola.

Como as escolas podem promover o envolvimento dos pais?

As escolas bem sucedidas com pais mais envolvidos e engajados começam indo além das definições estreitas do envolvimento. Eles não contam apenas o número de pais que participam do jantar beneficente da escola ou voluntários na feira de livros.

Eles não se concentram em requisitos, como ter mais pais para assinar os relatórios ou confirmar doações ou rifas.

Em vez disso, eles começam com a crença de que o sucesso do aluno é um interesse compartilhado tanto da escola como da família, envolvendo os pais como parceiros no processo de aprendizagem e, em seguida, identificar caminhos concretos para que a parceria seja duradoura.

Melhorar a comunicação

A comunicação eficaz exige um fluxo de informação bidirecional.

Embora a maioria das escolas desenvolvam estruturas eficientes para obter informações – tais como boletins informativos, sites com blog e comunicados à imprensa – muito menos desenvolvem estruturas semelhantes para garantir que o feedback dos pais seja ativamente solicitado.

Para algumas escolas, melhorar a comunicação envolve tecnologia, como mensagens de e-mail e aplicativos de comunicação.

Como exemplo, através do SmartBaby os pais podem usar o sistema, para ver mensagens dos professores sobre o que está acontecendo nas aulas de seus filhos e acessar as atividades, fotos de seus filhos e os registros das alimentações, entre outros.

Outras escolas tentam ver o envolvimento dos pais através dos olhos dos pais. Elas realizam, por exemplo, reuniões e oficinas com os pais não na escola, mas em um Centro Familiar que funciona no bairro ou na cidade onde moram.

Naturalmente, o uso de qualquer estratégia deve ser adaptado ao público da escola.

Se as famílias não têm acesso confiável à internet, o e-mail não funcionará. A linha de fundo para as escolas é comunicar usando estratégias que transmitem o que é importante, de uma forma que pode ser recebida pelos pais e famílias e convida-os a responder.

Como manter o envolvimento dos pais na escola?

Como manter o envolvimento dos pais na escola? Através de um aplicativo escolar, isso pode ser resolvido.

Ensino compartilhado

Sabemos que uma coisa que impede os pais de se envolver é o desconforto com as escolas. E esse desconforto geralmente decorre de pais que não sabem como se envolver.

As escolas que tem um compromisso com o envolvimento dos pais assumem um papel ativo na ajuda aos pais para aprenderem uma variedade de formas de se envolverem. Os benefícios para os alunos são comprovados:

Uma pesquisa recente descobriu que as atividades de leitura entre pais e filhos, produzem uma melhoria significativa na linguagem das crianças e habilidades de leitura da pré-escola até o ensino médio.

Outro estudo descobre um forte efeito positivo sobre a realização dos alunos quando os pais ajudam eles a fazer as atividades em casa.

Muitas escolas usam oficinas e outros programas escolares para ajudar os pais a aprender o que acontece nas salas de aula. Um exemplo: os pais vão para a escola primária e lêem com seus filhos, assim como falam com os professores sobre estratégias de leitura.

Mesmo estratégias tradicionais de envolvimento apresentam oportunidades de ensino. Enviar para casa uma “pasta de trabalho semanal” é um passo positivo, mas fornecer aos pais informações específicas sobre o que procurar no trabalho do aluno vai um passo além na comunicação do que é importante.

Os pais são os parceiros mais importantes na educação de uma criança e as escolas podem colher grandes dividendos capitalizando seu apoio.

Para ser preciso, tais relacionamentos requerem muito trabalho por ambos, os educadores e pais.

Embora o sucesso não venha fácil, as recompensas são muito grandes para que uma escola não tente manter um relacionamento bem sucedido e eficiente com os pais.